A História de Moisés

Jacó, José e seus irmãos morreram.
Havia, porém, muitos descendentes deles no Egito.
Passaram-se séculos. Os descendentes de Jacó, agora chamados de israelitas, se transformaram em uma nação poderosa.
Os egípcios começaram a ficar preocupados e com medo dos israelitas tão numerosos.
Com o passar do tempo, surgiu um novo rei no poder do Egito. Ele não sabia das coisas esplêndidas que José tinha feito pelo povo egípcio, muitos anos atrás.
O novo rei não gostava dos israelitas e foi logo tramando um plano para dominá-los. Fez dos israelitas escravos e usou-os nas construções de grandes templos para deuses egípcios. Embora esse novo Faraó tratasse os israelitas muito mal, eles se tornavam um povo cada vez mais numeroso.
O último dos Faraós teve, então, uma idéia para que os israelitas não aumentassem mais em quantidade.
Chamou todas as parteiras e disse com autoridade: “Quero que vocês não deixem viver qualquer bebê que nascer de uma israelita, caso seja um menino. Se for menina, o bebê poderá viver.”
As parteiras estavam mesmo numa situação difícil; e as acreditavam em Deus e não gostaram daquela proposta do Faraó.
Bem. Majestade. a verdade é que as mulheres sraelitas não são como as egcas: elas não precisam da nossa ajuda na hora do parto. São muito fortes e, quando chegamos até a casa deias, já estão com os bebês em seus braços.”, disseram as partelras.
Mas, como o povo só aumentava, o Faraó se irritava mais e mais. Ele resolveu, então, não voltar atrás quanto à sua horrível idéia. Colocou-a em prática.
Quanta maldade pode haver em um só coração! Isso deixa Deus muito triste!
Aquela lei imposta por Faraó era realmente cruel. Ninguém conseguia aceitar tamanha injustiça.
Algum tempo depois, um casal israelita teve um filho, era um belo menino.
A mãe não podia aceitar o fato de que ele teria de morrer. Daria tudo para salvar a sua vida. Conseguiu escondê-lo por três meses. Mas, a cada dia, o bebê crescia e ficava mais difícil ocultá-lo.
Como a mãe queria, a qualquer custo, salvar a vida do bebê, teve de fazer um cesto de juncos e planejou colocá-lo no rio.
Ela fez um cesto bem firme e forte para que não afundasse. Colocou o menino dentro e levou-o até o rio. Deixou o cesto perto dos juncos. Mandou também que Miriã, irmã do menino, ficasse cuidando de longe para ver o que aconteceria.
Logo apareceu um grupo de senhoritas que acompanhavam a filha do Faraó. Elas andavam por ali e costumavam brincar naquelas águas. A filha do Faraó viu o cestinho na água do rio Nilo e mandou que uma de suas servas fosse pegá-lo.

Coitadinho do bebê, deve estar com fome!”, disse a princesa, sensibilizada, Ele deve ser filho de um hebreu!”, concluiu ela (os israelitas também eram chamados de hebreus).
Miriã, que era uma garota muito esperta, foi logo se adiantando; Princesa, eu conheço uma senhora hebréia que pode dar de mamar para este menino até que ele fique bem grande e fortinho.”
“Vai, menina.”, consentiu a princesa.
E Miriã correu para buscar sua mãe.
A princesa pediu à mulher que cuidasse do bebê até que fosse um pouco maior. E pagou à mulher para que cuidasse dele.
Quando o menino atingiu uma certa idade. a hebréia levou-o até a filha do Faraó.
A princesa adotou-o como se fosse seu próprio filho. “Vou chamá-lo de Moisés porque o tirei das águas.”
E Moisés foi educado como um principe.
Quando abriu, viu com surpresa um menino chorando.
A princesa egípcia educou Moisés como um príncipe do Egito. Nunca ela contara a ninguém a respeito da origem do rapaz. Mas, mesmo assim, ele sabia que era um israelita e não gostava do tratamento que os egípcios davam aos hebreus.
Todos de Israel ainda eram escravos do Faraó, e a cada dia ele maltratava mais os parentes de Moisés, que muito se entristecia com tal situação.
Certo dia, Moisés viu um egípcio ferindo um hebreu, inconformado, Moisés saiu em defesa do hebreu e acabou se envolvendo em sério problema diante da justiça egípcia.
Por tal motivo, Moisés fugiu do Egito para uma terra distante.
Tempos depois, em uma manhã de sol, sentou-se perto de um poço, e logo apareceram sete moças para tirar água e dar de beber ao rebanho. Moisés, muito cavalheiro, mostrou-se bastante prestativo e as ajudou.
Mas vieram os pastores de ovelhas e as expulsaram dali. Moisés novamente saiu em defesa delas.
As moças mal podiam acreditar. Assim que chegaram a casa, foram logo contando ao seu pai, Reuel, a respeito do estranho que as ajudou a tirar água do poço e que saíra em defesa delas.
“Onde está esse homem? Chamem-no até aqui!”, ordenou o pai.
Moisés foi bem aceito ali e logo se tornou genro de Reuel, casando-se com Zípora.
Moisés tornou-se pastor de ovelhas.
Moisés era dedicado e gostava muito de cuidar das ovelhas de seu sogro.
Certo dia, levou o rebanho através do deserto até o monte chamado Horebe.
De repente, apareceu um anjo do Senhor, do meio de um arbusto em chamas.
Era difícil acreditar. Moisés respirou fundo, olhou novamente com atenção e pensou consigo: “Inacreditávefl O arbusto está em chamas, mas não está nem um pouco queimado nem arruinado!”
Então, Deus falou com ele: “Moisés, Moisés! Eu sou o Deus de Abraão, saque e jacó.”
Moisés, tremendo de medo, escondeu o seu rosto para não ver Deus.
E o Senhor continuou dizendo: “Eu sei as coisas horríveis pelas quais os israelitas estão passando. Sei tudo o que acontece no Egito. Eu quero livrá-los da escravidão. Escolhi você para levá-los de volta a Canaã, a Terra Prometida. Você falará com o Faraó.”
“Ai, meu Deus, eu não sou um homem forte e inteligente o suficiente; sou até meio gago. Quem sou eu para falar com o Faraó?”, perguntou Moisés, aflito.
“Não se preocupe, Eu irei com você!”, disse Deus. “Creio que eles não acreditarão em mim; na verdade, nem sequer vão me ouvir,”, respondeu Moisés.
“Muito bem, jogue o seu cajado no chão, Moisés.”
Obediente, Moisés assim o fez, e num piscar de olhos o cajado estava transformado em uma cobra.
“Pegue a cobra pelo rabo, Moisés!”
E ele pegou-a pela cauda. A cobra logo se transformou em um cajado novamente.
Deus mostrou mais alguns sinais a Moisés e garantiu que estaria cuidando de Moisés e lhe dando poder.
Desse modo, todos saberiam que Deus o havia enviado.
Deus sempre Quer se comunicar com as pessoas. Elas é que não percebem os sinais do Senhor! Nascimento de Moisés

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *