Esaú e Jacó

Quando saque e Rebeca se casaram, Isaque tinha quarenta anos. Mas havia um problema, ele logo perceoeu que não seria possível Rebeca ter filhos. Ele, com fé. orou e pediu que Deus ouvisse a sua oração.
Imaginem aaleghade saque quando finalmente Reca engravidou! Deus era realmente fiel. E logo Rebeca notou que estava grávida de gêmeos. Que felicidade!
Conforme o costume daquela época, o primeiro filho que nascesse teria mais privilégios materiais, receberia mais terras e dinheiro como herança.
Logo chegou a hora, e Rebeca deu à luz o primeiro gêmeo. saque e Rebeca deram-lhe o nome Esaú. Em seguida nasceu o seu irmãozinho jacó.
Os gêmeos cresceram. Eram muito diferentes um do outro, tanto na aparência física quanto nas preferências.
Esau se tomou um homem que gostava de caçar, de ir aos campos. jacá. por outro lado, era simples, muitas vezes cozinhava as caças que o irmão trazia para casa.
Certo dia, Esaú voltou de uma caça muito faminto, pois não tinha comido nada durante o dia. Viu que o irmão jacó havia feito algo delicioso e não se acanhou: ‘Posso comer um pouco?”. perguntou Esaú.
Mas jacó. muito esperto, quis fazer uma troca: “Bem, vou dar a você deste meu delicioso prato com uma condição!”
“Muito bem, diga logo o que você quer, jacó!”, disse Esaú muito cansado.
“Quero o direito de ser o primeiro da família e assim ter todas as riquezas. Darei a comida, se você me der em troca, o direito da herança!”.. propôs jacó.
Esaú, morto de fome, nem pensou muito sobre o seu futuro: “Tudo bem, eu concordo!”
E logo jacó deu pão e o gostoso guisado de lentilhas ao seu irmão.
Esaú comeu bastante até aue estivesse satisfeito. depois se levantou e saiu.
Isaque estava ficando bastante idoso e mal podia enxergar. Mandou chamar Esaú, pois queria abençoar o filho mais velho.
“Meu filho, estou muito velho e gostaria de abençoar você. Sei que não viverei muito tempo mais!”, disse Isaque.
Ele pediu que Esaú saísse ao campo e trouxesse uma caça. Esaú deveria fazer uma comida especial para o seu pai.

jaco e esau
Rebeca ouviu tudo que saque tinha dito a Esaú. Lembrou-se também de que Deus tinha dito a ela que o filho mais jovem serviria o mais velho. Como ela tinha um carinho especial por Jacó, planejou uma armadilha.
Enquanto Esaú caçava nos campos, Rebeca mandou que jacó trouxesse a ela dois bons cabritos. Ela faria um guisado especial, do jeitinho como Isaque gostava. E. como a visão de Isaque estava muito ruim, ela disse a Jacó:
“Você vai levar a comida a seu pai no lugar de Esaú, e ele abençoará você e o fará herdeiro!”
“Mas mãe, eu sou bem diferente de Esaú. Ele é um homem cabeludo, e eu não sou. Papai vai desconfiar quando me tocar, e não terei a bênçãoV’
Mas Rebeca estava determinada, mandou Jacó vestir algumas roupas de Esaú e amarrou peles de cabritos sobre seus braços, mãos e perto do pescoço.
“Quem está aí?’, perguntou saque, sem conseguir enxergar direito.
“Sou eu, o seu filho mais velho. Eu trouxe a comida que preparei com a minha caça, papai!”, me tiu jacó.
saque estranhou que Esaú houvess” voltado tão depressa da caçada, mas jacó conseguiu despistar bem, e lsaque comeu a saborosa comida.
“E estranho, Esaú, mas a sua voz está n- uito parecida com a de jacó!” E lsaque começou a apalpar o seu filho e notou que era cabeludo.
Um pai nunca merece ser enganado. uem engana ao pai engana a Deus!
Isaque, mesmo meio desconfiado, comeu o guisado. Estava delicioso mesmo!
Quando acabou de comer, perguntou mais uma vez:
“Você é mesmo o meu filho Esaú?”
E jacó novamente mentiu: “Sou, sim!”
saque, então, mandou que ele se aproximasse e o abençoou. Jacó beijou o seu pai, e mais uma vez lsaque se enganou. Pensou estar sentindo o cheiro de Esaú, já que jacó estava usando as roupas de seu irmão.
acó saiu, e logo apareceu Esaú, que preparou um ótimo guisado com a caça que tinha trazido. Foi alegre levar a comida ao seu pai.
Quando Esaú falou com seu pai, dizendo que havia chegado e preparado a comida deliciosa, lsaque estremeceu. Ele tinha dado a bênção ao filho mais novo, e não a Esaú.
Esaú ficou muito zangado com tudo aquilo. Chegou a sentir ódio ao seu irmão jacó por lhe roubar a bênção.
“Quando puder vou me vingar de meu irmão.”, desabafou em voz alta Esaú.
Alguém ouviu aquilo e foi correndo contar a Rebeca.
Assustada, ela arranjou um jeito de avisar jacó do perigo que corria. A mentira sempre traz multa intranqüilidade. Acaba sendo trabalhoso demais viver depois de mentir!
Isaque não queria que seus filhos se casassem com mulheres de Canaã. Mandou chamar jacó, que era solteiro, abençoou-o e ordenou que ele voltasse à terra dos seus antepassados. Lá ele deveria encontrar uma esposa que louvasse e amasse o Deus verdadeiro. E mandou jacó seguir viagem.
Jacó se pôs a caminho de Harã, a terra natal da família dos antepassados de Rebeca, sua mãe. Sabia que havia felto multas coisas erradas em relação ao seu irmão, mas ele agora estava disposto a acertar.
Chegou a um lugar para passar a noite. O sol já tinha se posto, e ele estava cansado. Resolveu pegar uma pedra e fez dela um travesseiro. Ajeitou-se e logo adormeceu.
acó sonhou com uma escada que começava na Terra
e alcançava os céus. Também havia muitos anjos que desciam
e subiam pela escada. E ele ouviu Deus dizendo do alto da
escada:
“Eu sou o Senhor Deus de Abraão e saque. Esta terra aqui será toda sua e dos seus descendentes. Eu sempre estarei com você, e um dia você voltará aqui.”
Quando Jacó acordou do seu sono, sentiu a presença de Deus naquele local. Em gratidão, pegou a pedra que tinha sido seu travesseiro e derramou azeite em cima dela. E chamou aquele lugar de Betel, ou seja, “Casa de Deus”.
Também fez uma promessa: “O Senhor Deus será o meu Deus para todo o sempre. E Lhe darei a décima parte de tudo quanto eu obtiver.”
Lembrar de agradecer a Deus por tudo na vida e dedicar a Ele parte do que se tem é sinal de verdadeiro amor!

Isaque jaco

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *