Rei Davi com Bateseba e seus Filhos e Consequências do Erro

Passou-se um tempo, e novamente voltaram as épocas de guerra.
Davi enviou joabe e o seu exército para lutar contra os inimigos. Davi, que costumava ele próprio liderar e ir à frente do exército, desta vez decidiu ficar em jerusalém. E aconteceu que, numa tarde, ao passear pelo terraço do palácio real, Davi avistou uma moça de grande beleza!
Davi se enamorou da moça logo que a viu. Mandou um de seus servos descobrir quem era a mulher.
‘Aquela mulher se chama Bate-Seba, ela é a esposa de Urias, um combatente do exército!”, disse o servo ao rei.
Davi mandou que a buscassem. Ela veio. E o rei nem pensou nas conseqüências de seus atos e muito menos nos Mandamentos de Deus (“… não cobiçar a esposa de um outro homem”). Os dois agiram sem muito pensar. Davi ficou preocupado porque, em breve, todos saberiam a respeito de sua má conduta com a esposa de Urias.
Davi bem que tentou esconder sua atitude tão errada! Mas Deus não gostou nada daquilo!
Como Davi não encontrava um meio de resolver aquele grave problema, ordenou que joabe colocasse Urias no pelotão onde haveria a pior batalha. Talvez assim o esposo de Bate-Seba morresse, deixando os dois livres de problemas. Que plano mais feio!
Deus se entristece com as atitudes erradas das pessoas e não protege as que têm maus pensamentos e más intenções.
Por mais horrível que fosse o plano de Davi, ele acabou se realizando.
E o bom Urias, muito preocupado com seus homens e com a batalha em andamento, não tinha outro pensamento senão o de lutar pelo seu povo. Por isso obedeceu às ordens do rei Davi. Ficou no batalhão que enfrentaria os mais perigosos inimigos!
Os israelitas, juntamente com Urias, conseguiram por várias vezes fazer o inimigo recuar. Urias lutou e lutou.
Em dado momento, porém, viram-se os israelitas sob uma chuva de flechas atiradas dos muros da cidade. Muitos se feriram mortalmente. E Urias morreu lutando.
Muitas pessoas boas e justas sofrem por causa das atitudes maldosas dos outros. Mas Deus tudo vê e tudo sabe!
Pouco tempo se passou, e logo um mensageiro correu palácio adentro trazendo a Davi notícias da batalha contra os amonitas.
“Na verdade, os amonitas são mais poderosos do que nós. Eles foram ao nosso encontro no campo, mas nós os forçamos até a entrada da cidade. Infelizmente os flecheiros atiraram contra o nosso exército do alto do muro, e acabamos perdendo alguns homens, inclusive Urias.”
Davi mandou seu mensageiro de volta, com seguinte ordem a joabe: “Não se preocupe. Invista com força contra a cidade e vença-a!”
Assim foi feito. Mas Bate-Seba, ouvindo as notícias de que seu marido Urias não mais estava vivo, ficou extremamente triste.
Davi esperou que passasse a época de luto, mandou que a buscassem e tomou-a como sua esposa.
Logo eles tiveram um filho. Mas Deus continuava muito triste por causa das atitJdes de desobediência tomadas por Davi.
É preciso, antes de fazer qualquer coisa, pensar nas suas conseqüências. E melhor refletir antes do que sofrer depois!
Deus enviou o profeta Natã até Davi. Assim que Natã estava frente a frente com Davi, começou a contar a seguinte história:
Havia numa cidade dois homens, um rico e um pobre. O pobre não tinha nada a não ser um pequeno cordeiro, que tinha criado desde filhote. O rico possuía muitas ovelhas e vacas. Então, o homem rico recebeu a visita de um viajante. Em vez de pegar uma de suas ovelhas para preparar como refeição para o viajante, pegou o pequeno cordeiro do homem pobre.” Davi ficou indignado, furioso, e quis saber de Natã quem era aquele homem.
“Diga-me, Natã, quem é esse homem tão injusto? Vou dar ordens para que ele reponha quatro ovelhas no lugar daquele cordeiro que ele tomou para si. Além do mais, ele não foi piedoso com o homem pobre!” acrescentou Davi. E Natã revelou: “Pois bem, esse homem é você, Davi. Você recebeu de Deus tudo que era possível imaginar e, mesmo assim, você desobedeceu ao Senhor! Você tomou a esposa de outro homem e foi muito injusto com ele.”
Davi, reconhecendo o quanto tinha errado, confessou a Natã: “Você tem razão. Eu pequei contra Deus.”
O profeta ainda advertiu: “Davi, Deus perdoa o seu erro. Mas não deixará de puni-lo para que você não volte a tomar decisões que desagradem ao Senhor. Algo acontecerá que o fará sentir-se muito triste. E você saberá sempre que um dia desobedeceu a Deus.”
Ah! Se Davi tivesse pensado, refletido, antes de agir! Natã foi para a sua casa. Algum tempo depois, o filhinho de Davi e BateSeba ficou muito doente.
Davi, muito triste, jejuava e orava durante a noite. Nada consolava Davi. Mais e mais ele sofria diante do filho doente. E, no sétimo dia, a criança morreu.
Davi não pôde fazer nada. Apenas tinha forças para consolar sua esposa Bate-Seba.
Depois de um tempo, tiveram um outro filho. E chamaram o menino de Salomão. E Deus amou Salomão.
Além de Bate-Seba, Davi tinha muitas outras esposas. Naquela época era costume ter várias mulheres; as leis permitiam. Assim sendo, Salomão não era o único filho, havia outros meio-irmãos.
Um dia, o filho mais velho de Davi, chamado Amnom ofendeu indignamente a Tamar, sua meia-irmã.
Absalão, irmão de Tamar, ficou sabendo que sua irmã tinha sido ofendida por Amnom. Absalão não gostou nada daquela história!
Passaram-se dois anos. Mas Absalão não havia esquecido o que Amnom tinha feito com a sua irmã. Então, acabou dando um jeito de se vingar do meio-irmão Amnom.
Absalão, com medo das conseqüências, fugiu para longe dali. Davi ficou sabendo de tudo. Mais uma vez o rei se entristeceu.
Deus também se entristece quando vê que irmãos brigam e se ofendem. Deus planeja as famílias com tanto amor!
Joabe conhecia o coração de Davi. Sabia que, intimamente, o rei sentia muito a falta de seu filho Absalão.
Joabe, então, contratou uma mulher e pediu que ela se fingisse de viúva. Ela deveria visitar o rei Davi e fazer uma encenação; ela diria tudo o que joabe havia planejado.
“Meu marido faleceu e eu tinha dois filhos. Um dia eles brigaram muito, e ninguém conseguiu separá-los. Um deles tirou a vida do outro. Os parentes não querem perdoar meu filho violento”, disse a mulher, diante de Davi.
Davi, calmamente, orientou a mulher sobre o perdão a ser dado a seu filho. Mostrou-se justo e bondoso. Mandou-a, então, para casa. No entanto, a mulher resistiu e não saiu do lugar. Davi perguntou se havia mais alguma coisa que ela quisesse dizer  “Bem, o senhor meu Rei foi tão piedoso com o meu filho. Por que não perdoa o seu próprio filho e faz com que ele volte para sua casa?”, lançou ela o desafio. Davi, diante de tal situação, teve oportunidade de pensar direitinho, com justiça e bondade.
Chamou joabe e lhe disse: “Vá e traga o meu filho Absalão de volta para casa.
Muitas tristezas podem ser apagadas com o perdão!”
Absalão estava de volta e tinha domínio sobre muitas coisas no reino de seu pai. Mas tudo isso não parecia ser suficiente para ele. Absalão era ambicioso. Queria o trono de Davi. E todo homem que vinha com alguma queixa ao rei, Absalão chamava à parte e o aconselhava. Procurava, assim, conquistar a simpatia de todos os súditos de Davi. Absalão queria apoio do povo em troca de pequenos favores. E assim agiu durante muitos anos.
Um dia, Absalão disse a Davi: “DeIxe-me ir para Hebrom, eu fiz um voto a Deus!” E Davi mandou que ele fosse em paz.
Absalão partiu com cerca de duzentos homens. Ele já tinha tudo planejado. Mandou alguns homens por todas as terras de Israel e lhes disse:
‘Quando vocês ouvirem o som das trombetas, todos dirão: Absalão reina em Hebrom!”

Absalao se declara Rei

Pouco tempo havia passado, e Davi logo recebeu um mensageiro que o informou: Senhor, meu Rei, o coração de cada um em Israel segue a Absalão. Ele quer o seu trono. Está vindo em direção ao seu reino para conquistá-lo!”
Davi deu ordens expressas para que todos partissem de Jerusalém. Davi e seus homens fugiriam às pressas.
O desejo incontrolável do poder deixa as pessoas cegas!
Ao sair de Jerusalém, Davi deixou ali um amigo de confiança, Husai. Este homem, a pedido de Davi, deveria simular juntar-se a Absalão. Essa seria uma maneira de conhecer os planos de Absalão para depois derrotá-lo.
“Meu amigo, ficando aqui, talvez você consiga a confiança de Absalão. Talvez ele conte a você quais os seus planos. Se você souber de algo, mande me avisar.”
Dias depois, quando Davi chegou a Baurim, um homem de nome Simei saiu de sua casa e começou a insultar e apedrejar Davi e seus homens.
Eles se viram em apuros. Eram tantas pedras! Só o que faziam era desviar-se delas todas.
Então, um dos companheiros perguntou a Davi: “Por que ele está atirando pedras e ofendendo com palavras o Rei? Esse insolente merece uma boa lição. Deixe-me ir até ele!” Mas Davi não permitiu que ninguém o atacasse. Davi contou aos seus homens que era o Senhor que havia enviado aquele homem para apedrejá-lo e ofendêlo por causa de seus pecados.Tantas coisas são compreendidas quando se tem consciência dos próprios erros! Na ocasião em que Davi e seus homens fugiram de Jerusalém, Aitofel, conselheiro de Absalão, quis rapidamente sair em perseguição a Davi quando soube de sua fuga.
Ele foi logo dizendo aAbsalão: “Deixe-me levar doze mil soldados para atacar Davi. Ele está com seu exército mal estruturado e um tanto indefeso porter saído às pressas de jerusalém.” Absalão julgou ser muito bom o plano de seu conselheiro Atofel.
Estava tudo acertado, mas mesmo assim Absalão mandou chamar Husai, para pedir conselhos.
“O que você pensa, Husai, devo fazer conforme Aitofel planejou ou não?”, perguntou Absalão, indeciso.
Absalão nem desconfiava que Husai era amigo de confiança de Davi e que estava ali para conhecer e atrapalhar seus planos.
‘A idéia de Aitofel não é boa desta vez. Você bem conhece o seu pai Davi. A esta hora ele deve estar escondido em alguma caverna, e os homens dele são muito valentes. Se houver um ataque, e vocês não pegarem Davi, todos vão rir de você. No seu lugar, eu esperaria um pouco e depois eu mesmo conduziria a batalha. Assim, a vitória e as glórias serão só suas!”, disse Husai.
Absalão julgou o conselho de Husai muito melhor do que a idéia de Aitofel. E fez conforme dissera Husai.
Muito esperto, Husai arranjou um jeito de avisar a Davi tudo o que estava acontecendo. Dessa forma, Davi já saberia de antemão qual seria o próximo passo de Absalão. Depositar confiança nas pessoas indevidas é muito perigoso, nunca dá certo!
Davi preparou-se para lutar. Dividiu o exército e elegeu bons generais para o comando das tropas.
E Davi declarou: “Eu também irei com vocês à batalha!”
Porém o povo não concordou com que Davi pusesse em risco sua vida, Seus fiéis homens explicaram que, caso o exército tivesse de fugir ou fosse derrotado,
estando longe dali Davi ainda poderia um dia recuperar seu trono. E o rei Davi, então, não os acompanhou na batalha.
Davi ordenou também a seus generais que tratassem Absalão bondosamente. Davi, como todo bom pai, ainda amava muito Absalão. E todo o povo ouviu quando Davi deu essa ordem aos generais.
Finalmente, os exércitos de Absalão e de Davi se encontraram numa floresta e ali muito lutaram. A luta foi bastante violenta.
Durante a correria própria de uma batalha, Absalão, montado em um cavalo, ao tentar rapidamente escapar do ataque dos soldados de Davi, passou por debaixo de espessos ramos de uma grande árvore. Absalão ficou preso com a cabeça entre os galhos, totalmente pendurado, enquanto a mula foi adiante galopando sozinha. E, porque estava pendurado, Joabe lançou três dardos no coração de Absalão, mas ele ainda estava vivo. Então dez soldados de Joabe cercaram e feriram Absalão, que finalmente morreu.
Para muitas pessoas, seria bem melhor viver com simplicidade, sem desejos incontroláveis de poder e enormes conquistas. Viveriam mais tranqüilas!
Depois do acontecido na floresta, foram correndo avisar o rei Davi sobre o seu filho Absalão.
Os homens do exército sabiam que haviam agido errado, pois Davi tinha pedido que fossem bons com seu filho e apenas o capturassem.
Dois mensageiros se encarregaram de avisar Davi, que estava muito ansioso aguardando notícias da batalha.
Um dos mensageiros contou a Davi os detalhes da vitória na guerra. Eram boas as notícias, e Davi se alegrou!
Um outro mensageiro trouxe a notícia a respeito de seu filho Absalão. Tudo foi narrado em detalhes. Davi não pôde esconder sua enorme tristeza!
Os homens de Davi haviam vencido a batalha, mas sabiam que o preço da vitória fora a perda de seu filho Absalão.
Muitas vezes as pessoas acabam com a vida por causa de suas próprias idéias, por causa de sua cabeça!

Absalao fica preso na árvore

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *